Qual a importância da escolha da madeira para fôrma na concretagem?

.autocad-projeto-prefeitura

Dos últimos anos para cá, as mudanças no processo de construção civil e na maneira como os objetos são utilizados e reutilizados foi imensa. Uma dessas foi a adesão das fôrmas metálicas para a maioria das coisas, já que podem ser utilizadas muito mais vezes que as convencionais de madeira. Porém, as mudanças nem sempre atingem todos os pontos. As de madeira, por exemplo, ainda são a principal maneira de moldar no momento da concretagem de pilares, vigas e lajes no Brasil. O por quê? Pois a madeira e o tipo dela que é usado podem influenciar diretamente na qualidade do material moldado.

Mas como? Bom, é muito importante que a fôrma esteja devidamente vedada para que não ocorra fuga da nata do concreto, e para isso, a madeira deve ter resistência o suficiente para não ceder à pressão exercida pelo concreto no momento em que ocorre o lançamento e o adensamento. Sem falar que uma tecnologia muito utilizada hoje, que é a do concreto autoadensável, requer essas fôrmas ainda mais firmes e consistentes. Outro motivo da madeira ser de boa qualidade é que uma inferior pode deformar, deformando também o concreto e gerando problemas estruturais e de nivelamento.

Mas como escolher a madeira correta? Não é uma pergunta muito difícil, pois assim como a maioria dos outros materiais usados na construção civil, a madeira para a fôrma está no manual da ABNT. Ela deve atender às normas descritas abaixo:

– NR 18 (Condições e meio ambiente de trabalho na indústria da construção)

 NBR 6118(Projeto de Estruturas de concreto)

 NBR 9490 (Projeto de Lâmina e Compensado)

 NBR 14931 (Execução de estruturas de concreto -Procedimento)

 NBR 7190 (Projeto de estruturas de madeira)

A madeira deve ter algumas características específicas, variação de temperatura e uma resistência maior à umidade. Desse modo, a mais recomendada é a produzida com Lâmina de Pinus. As melhores são as melhoradas com a aplicação de tego-filme, que são caracterizadas como fôrmas plastificadas, e com a utilização da cola WBP, que é resistente a intempéries e furvida, e podem suportar uma longa exposição à umidade e não absorver a água do concreto.

Se dentro das normas e se utilizadas corretamente, as fôrmas podem ser reutilizadas até 30 vezes e não deixar a desejar em nada, mas é claro que como tudo, deve ser manuseada da forma correta.

Pablo Marton do Nascimento é um dos sócios e diretor de uma empresa especializada em produtos madeireiros para a construção civil, a Global Wood do Brasil. Vendendo a ideia de que esse material não pode ser considerado descartável, listou o que pode ser feito para evitar o desgaste fácil e possibilitar tantas reutilizações. Veja a lista abaixo:

revit modelagem básica

conservação-lâminas

Já deixamos muito claro o quão importante é a escolha da madeira para fôrma, mas isso ainda tem maior peso em casos de Concreto Aparente, pois já não são possíveis algumas ações de reparação como lixamento e pintura. Além disso não pode haver erros para garantir que não haverá permeabilidade, fissuras e que durará o tempo estimado. Ela tem, além da função de moldar a estrutura, a de deixá-la lisa como deve ser. Deve-se novamente saber qual madeira escolher e tomar os devidos cuidados com ele para que seja reutilizado.

fôrmas de madeira

fôrmas de madeira1

fôrmas de madeira2

Concreto Aparente

Concreto Aparente

Fonte: Massa Cinzenta

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

autocad-projeto-arquitetonico

Rafael de Oliveira Bolonha

Estudante de Engenharia Civil da Univix – Faculdade Brasileira, em Vitória, Espírito Santo.