Acidente na Arena Corinthians foi ocasionado por afundamento do solo, indica laudo do Instituto de Criminalística.

.autocad-projeto-prefeitura

O novo estádio do Corinthians, a Arena Corinthians, estava quaaase pronto em novembro do ano de 2013, quando de repente se envolveu em um grave incidente em que o guindaste caiu no momento em que estava colocando a última parte da cobertura, matando dois operários e atrasando totalmente as obras.

acidente-itaquerão-guindaste-03

Com o acidente as especulações começaram. Foi problema de falha humana? Problema do guindaste? Iniciou-se então um processo de investigação pela perícia da Polícia Científica de São Paulo. De acordo com o laudo do Instituto de Criminalística do órgão, o problema não foi de alguém (falha humana) e nem uma falha mecânica do guindaste, mas houve sim um afundamento do solo onde estava a máquina.

A fabricante do guindaste, Liebherr, falou sobre a operação. A maquina utilizada é de extrema precisão e tem 114 metros, capaz de suportar até 1.500 toneladas. O problema é que até a inclinação do terreno deve ser exata, de no máximo 0,3 grau. Se acordo com a perícia, a base de pedras e chapas de aço que foi colocada para fazer o nivelamento do terreno e para aguentar o peso do guindaste acabou cedendo, inclinando o terreno e o então tombando a torre.

acidente-itaquerão-guindaste-05

A peça que estava sendo levantada tinha nada menos que 420 toneladas e esse tombamento aconteceu na 38° vez que a operação estava sendo feita. Com o laudo não é possível determinar o culpado, exatamente, mas será a base para que Luiz Antônio da Cruz, delegado da 65° DP e responsável pela investigação decida se hoje ou não um responsável humano pelo acidente.

acidente-itaquerão-guindaste-04

A Odebretch, que é a construtora contratada, ainda não se pronunciou pelo laudo do IC, tendo em vista que o seu próprio laudo, feito ainda em novembro, não acusou a interferência do solo na queda.

De acordo com a construtora, o solo estava corretamente dimensionado para a realização desse último processo de suspensão. No laudo dia que “a superfície do terreno estava em acordo com as definições do fabricante do equipamento; o aterro é homogêneo, rígido, estável, resistente e de baixa permeabilidade; a compactação do terreno tem grau sempre superior a 95%, medida adequada; a tensão de ruptura do solo é pelo menos 130% maior que a tensão máxima devido à carga do guindaste; e a pista é estável e estava corretamente dimensionada para a operação de transporte da peça”, ou seja, para eles estava tudo nos mais perfeitos detalhes.

autocad-pacote-premium

Para esse tipo de operação o solo tem que estar muito estável e ter um grande índice de impermeabilidade. A GeoCompany fez os testes do solo em condições secas e úmidas e indicaram que sim, o solo estava nas perfeitas condições de impermeabilidade. Com especulações sobre as chuvas que ocorreram na semana anterior, a empresa afirma que a água “não penetrou no terreno – foi drenada pelas laterais da área, não tendo afetado a estabilidade do solo”. Trecho tirado do próprio comunicado da Odebrecht.

acidente-itaquerão-guindaste-02

Quando o fabricante do guindaste se pronunciou foi através de um estudo da Universidade Federal do Rio de Janeiro. O estudo foi encomendado pela Liebherr e a conclusão foi a mesma do Instituto de Criminalística sobre o afundamento do solo.

A Folha de S. Paulo é que divulgou, e de acordo com eles as análises foram feitas em seis pontos estratégicos, onde as esteiras do guindaste estavam apoiadas, e neles o solo estava muito mais mole do que deveria para aguentar todo esse peso. O índice indicado para a firmeza do solo é de 80%, mas estava em penas 13%. A compactação deveria ser de 10, mas era de apenas 6,3.

acidente-itaquerão-guindaste-01

O laudo indica, de acordo com a profundidade do solo, que a parte de trás do guindaste foi a primeira a afundar. Nesse movimento, a máquina empinou e as hastes metálicas de suspensão se quebraram. O solo tinha também uma proteção do solo à base de brita, e pelo peso que deveria suportar, não era adequada.

Fonte: Techne

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

autocad-projeto-arquitetonico

Rafael de Oliveira Bolonha

Estudante de Engenharia Civil da Univix – Faculdade Brasileira, em Vitória, Espírito Santo.